Sementes Crioulas e Agricultura Orgânica em Anchieta – SC

          Mesmo diante de uma grave epidemia de COVID 19, fruto de um Modelo Econômico opressivo com a Natureza e Sociedades, nada mais esperançoso do que recordar como foi a Festa Nacional de Sementes em Anchieta. Nos dias 16, 17 e 18 de março de 2018 foi realizado na cidade de Anchieta, extremo-oeste do estado de Santa Catarina-Brasil, a 12ª Expo Anchieta e a 6ª Festa Nacional das Sementes Crioulas. Uma Festa importantíssima para a disseminação das tecnologias sustentáveis com a principal delas que é a capacidade de ter autonomia, liberdade sobre a cadeia produtiva das sementes com exclusividade crioula e orgânica e a consequente segurança alimentar. Livre da depredação genética causada pelas grandes corporações do capital internacional, essa prática de plantio, replicagem, venda e troca; dissemina sementes milenares com alto potencial produtivo e alimentício, além da própria troca de experiências entre os agricultores e simpatizantes.  As práticas agrícolas agroecológicas/orgânicas preservam as espécies, melhoram as variedades e não interferem negativamente na genética dessas plantas com agrotóxicos e adubos químicos sintéticos-minerais. Uma prática antiquíssima de milhares de “Guardiões e Guardiães de Sementes” por este Brasil afora, belamente representado numa das mais importantes Festas para a Autonomia dos Povos.

Inauguração da Festa das Sementes Crioulas em Anchieta

Inauguração da Festa das Sementes Crioulas em Anchieta

      Engajamento de Prefeitos, Deputados…

Fervendo de visitantes !!!

Fervendo de visitantes !!!

A participação de autoridades que se preocupam verdadeiramente com a população e não com o que pensam e ordenam as Multinacionais, propiciou novamente o renascimento dessa Festa sufocada pelas gestões passadas de partidos comprometidos com o atraso na Agricultora, dos Agricultores e de suas famílias. Sendo sabotada para que não ocorresse mais, o prefeito da época Ivan José Canci, conseguiu com seu pouco investimento inicial nesta Festa, gerar grande lucro para reverter em mais obras no seu Município e destacar novamente a Festa num momento exemplar para o Brasil e para todos os Agricultores que se preocupam com o rendimento e com a saúde de suas famílias e meio ambiente.  Diante do baixo lucro e do desastre na saúde do trabalhador e do ambiente em que os cultivos transgênicos proporcionam, é mais do que necessário que Festas como essas se multipliquem pelo Brasil. Além de permitirem que os agricultores achem novamente as sementes crioulas de soja, milho e outras de alto rendimento e de fonte alimentar saudável, essas Festas permitem com que os Agricultores recebam Cursos gratuitos de Tecnologias Orgânicas que fazem com que não percam no futuro suas terras para o ciclo do “veneno -> pragas -> infertilidade do solo -> dívidas com bancos -> doenças familiares“, que a Agricultura (com Agrotóxicos e NPK) convencional inevitavelmente leva a sofrerem.

          Diversidade Cultural e Biológica

Cerveja engajada

Cerveja engajada

A diversidade de Artesanatos com Plantas já quase sumidas pela opressão e monopólio mercadológica das Multinacionais e Agropecuárias, foi um ponto alto também da Festa. Desde catutos dos formatos mais variados até quadros muito trabalhados com diversidade infinita de cores de sementes – os olhos de visitantes pulavam de barraca em barraca, ávidos de conhecer uma biodiversidade que era espetacular e já milenar quando os primeiros portugueses desembarcaram nas praias de nosso Brasil.  Imaginem o que não existia de sementes crioulas ofertadas pelos indígenas!? Aliando tecnologia digital com material genético histórico, vimos cuias para chimarrão desenhadas(cavadas) no seu exterior com impressoras laser, acompanhadas de venda de sementes da própria cuia que se usou. Mas também conferimos motivos de animais feitos a mão usando catutos dos formatos mais bizarros e de uma beleza exemplar nas cores e na criatividade. Tecidos muito bem prendados pelas mulheres campesinas, compotas diversas, multicolorido de produtos indígenas, queijos coloniais, açúcar de canas crioulas orgânicas de um sabor espetacular, fitoterápicos caseiros para uma diversidade de patologias, orquídeas da associação ADORA e…até Whisky colonial e Cerveja do Movimento Sem Terra que jamais experimentei tão gostosa e tão bem feita. Por sinal era também um dos produtos muito disputados com uma embalagem bem engajada nas lutas passadas contra o Golpe de Estado encabeçado pelo conhecido Drácula ou Vampirão.

Autêntico destilado

Cuias para Chimarrão desenhadas a laser

Diversidade de espécies de catutos

Sementes Crioulas: Biodiversidade espantosa sobre as mesas.

Mulheres da Agricultura Familiar

Mulheres da Agricultura Familiar

Tais Feiras me lembram as antigas Feiras Públicas que presenciei quando criança e que ocorriam em Florianópolis, onde de madrugada todos os agricultores e criadores próximos(e nem tanto!) se deslocavam e expunham sua biodiversidade, preenchendo toda a Avenida Mauro Ramos desde o Hospital de Caridade até a antiga Rodoviária na rua Hercílio Luz. Tinham desde galinhas caipiras, ovos alimentados a milho crioulo e pasto, até broas feitas em forno a lenha de rua e tubérculos como cará-do-ar (Dioscorea bulbifera), muitas frutas nativas, feijões e outros grãos bem estranhos ao senso comum. Tudo isso foi desaparecendo com o pretexto de um relativo sanitarismo institucional que no fim serviu as grandes corporações com seus produtos insonsos, monolíticos e  prejudiciais a saúde. Foi um esmagamento do pequeno agricultor com Leis que beneficiaram apenas as grandes multinacionais do agronegócio centralizador econômico.

Mas o que vi nesta Feira foi de espantar que ainda estejam salvando tanto material biológico antigo e de alta produção como amendoim preto; milho branco; milho cravo; milho palha roxa; milho asteca; milho pipoca azul, branco e vermelho; milho pintado…arroz de sequeiro amarelo, branco, vermelho; gergelim; trigo; linhaça; grão-de-bico; lentilhas; tremoço; ervilhacas; centeio; teosinto, triticale; painço… É muita variedade de semente crioula!!! Um detalhe muito interessante que coletei com a Drª. Juliana Bernardi Ogliari da UFSC nesta mesma Feira é que no Oeste de SC temos a presença de mais variedades de milho crioulos, indígenas do que em muitos locais de países que dizem ser a origem do milho. No caso do Município Novo Horizonte a Drª. Juliana ( https://neabio.wixsite.com/neabioufsc ) encontrou mais de 300 variedades dessa planta sendo mantidas por esses pequenos agricultores. E nos municípios de Anchieta e Guaraciaba cerca de 1.513 variedades crioulas de milho! E nem se imaginam as dificuldades que tem de todo o ano plantarem longe de outras variedades e manterem longe do pólen da péssima espécie fraca em rendimento, sabor e nutrientes que é o milho geneticamente modificado.

Querendo o leitor conhecer mais a dimensão desse trabalho, consulte este arquivo em PDF:  https://repositorio.ufsc.br/bitstream/handle/123456789/185617/PRGV0273-T.pdf?sequence=-1&isAllowed=y

Prof. Juliana da UFSC/NEABio e Geraldo Jardim CVO

Prof. Juliana da UFSC/NEABio e Geraldo Jardim CVO

E os agricultores ainda foram presenteados com excelente Curso de melhoria de sementes ministrado pela professora Juliana e seus alunos.

Alunos NEABio

Alunos NEABio

 

Livros e livros dos melhores, com empolgados Livreiros

São muitos livros bons!!!

São muitos livros bons!!!

Palestina Livre!

Palestina Livre!

E jamais poderiam faltar livros, muitos livros de uma empresa bem inovadora e alternativa como a Livraria Marcelino Chiarello e uma Kombi escrita na sua lateral com a frase: “As palavras são mais poderosas que as armas” numa alternativa a frase de Stalin: ” As ideias são mais poderosas que as armas…” Kombi levando cultura vasta de diversos títulos como Agroecologia, Lutas pelos Direitos dos Povos, Biografias de Grandes Mulheres e Homens, até críticas Econômicas, Sociais aos Modelos vigentes de sociedades e Estados decadentes e opressores.

Há de se destacar que nunca vi tantos títulos importantes e de poder de construção individual e coletiva reunidos em tão poucos metros quadrados. Nem em Livrarias grandes de capitais vi tanta fartura intelectual e prática.

 

         

 Epagri atenta as necessidades do Campo Alternativo

Dr. Macarrão da Epagri

Dr. Macarrão da Epagri

É muito bom ver Órgãos Públicos que se preocupam com a saúde da população, a economia, suas carências de técnicas eficazes, de amparo realmente abrangente para todos que necessitam. E a Epagri fez bonito nessa festa apresentando diversos “cases” de sucesso como métodos de plantio, parcerias com preparativos para financiamentos de bancos, plantio direto, uso de novas cultivares… e até receitas de macarrão com ovos e milho crioulo da própria Epagri. Extensionistas são muito poucos e agricultores sofrem com esta falta, mas mesmo assim esse corpo técnico pequeno esbanja simpatia e conhecimento.

  Sucos de Frutas Silvestres

Jovens da Pastoral lutando com animação

Jovens da Pastoral lutando com animação

Como se não bastasse, a Pastoral da Juventude soltou pelos campos seus jovens e estes coletaram frutas para a confecção de sucos e com isso pagarem suas iniciativas comunitárias. Era suco de butiá, araçá, guabiroba e outros que dificilmente se encontrará pelo Sul tamanho show de sabores. Muito bonito o engajamento de pessoas tão jovens em ideais de cultura gastronômica e no apoio uns dos outros para o empoderamento social. Ganhou a Festa e ganhou quem experimentou o trabalho delicioso desses jovens nos dias quentes que se fizeram durante a programação. Num país tropical não faz sentido algum tomar refrigerantes sintéticos, super açucarados e sodioficados!

 Rede de Albergues Solidários

E para mostrar um profissional trabalho organizacional da Prefeitura, envolveram a Comunidade na recepção solidária de visitantes desta Feira de Sementes, propiciando de que muitas pessoas pousassem nas imediações em Sítios e Fazendas, aumentando assim o entrosamento e irmandade que tanto falta para esta Sociedade dos dias atuais. Foram super amorosos o casal Noeli (segundo e terceiro da direita para esquerda) e nossa incansável anfitriã e também  organizadora Kristiany Bender (no meio de branco). Vida longa para mais Feiras em Anchieta depois dessa Pandemia que se abateu sobre o Mundo, mas também que todos por esse Brasil afora carreguem suas baterias e alegrias para disseminar com mais estas Feiras a “Cultura da Autossuficiência” e a liberdade para nossos agricultores das garras das industrias do veneno, da transgenia, das Agropecuárias que só oferecem sementes mortas geneticamente, e das dívidas bancarias que esse modelo falido dos agrotóxicos e NPK causam nas suas famílias. Precisamos de mais Politicas Públicas para um Mundo melhor para todos e não somente para 1% da população milionária e bilionária deste país. Estamos numa rede, quer queiram ou não. Quando o vizinho está bem, feliz e agindo para o bem comum, todos se beneficiam! Sejamos exemplo deste caminho possível e necessário agroecológico/orgânico, econômico solidário e cultural diverso.

Publicado na(as) categoria(as) Artigos, CVO, Sementes Crioulas e visualizado 107 vezes.
Compartilhar


Deixe o seu comentário

Copyright © 2013 - 2021 Centro Vida Orgânica / Todos os direitos reservados.

Website desenvolvido por Tríscele